Buscar

Anticonvulsivante trata sintomas depressivos e anedonia por novo mecanismo


Pesquisadores da Escola de Medicina Icahn do Monte Sinai avançaram com uma observação feita em um estudo com camundongos de que o anticonvulsivante ezogabina é capaz de tratar sintomas depressivos e de anedonia. A anedonia é a diminuição da capacidade de sentir prazer, ou de responder a estímulos prazerosos. Clinicamente, esse sintoma está relacionado a quadros depressivos mais graves, mais resistentes ao tratamento e com maior risco de suicídio.


Nos animais, os pesquisadores descobriram que a maior resistência aos sintomas depressivos provocados por estresse estava relacionada ao funcionamento dos canais iônicos de potássio KCNQ2/3, responsáveis pelo controle da excitabilidade celular. Foi visto que o aumento do funcionamento desses canais é eficaz em reduzir os sintomas depressivos nos camundongos. Em função disso, os pesquisadores testaram o anticonvulsivante ezogabina, que aumenta a atividade dos canais KCNQ2/3, em um grupo de pacientes com depressão e altos níveis de anedonia.


Após 5 semanas de um estudo randomizado controlado por placebo, e mesmo não atingindo um desfecho primário relacionado à neuroimagem, o grupo da ezogabina mostrou significativa melhora dos sintomas depressivos e da anedonia em comparação ao grupo que recebeu placebo.



Quer saber mais?


Veja esse artigo e mais notícias sobre inovação em Medicina, Odontologia e Farmácia no nosso app. Lá além de mais conteúdos, você poderá montar a sua biblioteca de artigos para referência. Acesso gratuito.


Baixe aqui AppStore


Baixe aqui Google Play

17 visualizações