Buscar

Desenvolvida prótese valvar híbrida promissora para a cardiologia pediátrica


Crianças portadoras de doenças cardíacas que requerem a troca valvar cardíaca por prótese são pacientes peculiares por estarem crescendo. As próteses atualmente disponíveis para esses casos são feitas a partir de tecido animal e possuem vários inconvenientes. Primeiramente, perdem a função com o tempo por causa de calcificações e eventos tromboembólicos. Mais importante, as valvas de tecido animal não são capazes de acompanhar o crescimento da criança.


Esses inconvenientes trazem a necessidade de várias cirurgias cardíacas abertas para a substituição valvar até que seja colocada uma prótese definitiva de metal na idade adulta. Essa última cirurgia também tem problemas, pois obriga o paciente ao uso de medicação anticoagulante por toda a vida.


A novidade é que pesquisadores da Universidade de Minnesota anunciaram o desenvolvimento de um novo modelo de prótese que mostra potencial para superar várias dessas dificuldades. A nova prótese é uma matriz e acomoda células do receptor, produz pouca calcificação e coágulos, e, incrivelmente, acompanha o crescimento do receptor.


Quer saber mais?


Veja esse artigo e mais notícias sobre inovação em Medicina, Odontologia e Farmácia no nosso app. Lá além de mais conteúdos, você poderá montar a sua biblioteca de artigos para referência. Acesso gratuito.


Baixe aqui AppStore


Baixe aqui Google Play

1 visualização