Buscar

Agregação cerebral da proteína amiloide é eficazmente inibida em estudo


A doença de Alzheimer (DA) se caracteriza por deposição intracelular de proteína tau e deposição extracelular de agregados de proteína amiloide-β (Aβ). A Aβ só se torna tóxica na forma agregada, existindo normalmente e participando de processos biológicos em sua forma não agregada.


Em função disso, as tentativas de tratar a DA focaram o metabolismo dos agregados de Aβ. Embora até essas tentativas não tenham tido sucesso, isso pode estar para mudar a partir de um estudo conduzido por pesquisadores da Universidade de Uppsala. Basicamente, a equipe aperfeiçoou um neuropetídeo natural para transformá-lo em um agente capaz de estimular a atividade de uma enzima que degrada os agregados de Aβ. Testada em ratos, a nova molécula mostrou ser promissora candidata a futuros testes clínicos.



Quer saber mais?


Veja esse artigo e mais notícias sobre inovação em Medicina, Odontologia e Farmácia, no nosso app. Lá além de mais conteúdos, você poderá montar a sua biblioteca de artigos para referência. Acesso gratuito.


Baixe aqui AppStore


Baixe aqui Google Play



DOCMEDIA_ICONE_HIG_RES_WHITE.png

healthcare innovation

Atenção: Docmedia é um espaço informativo de divulgação e educação sobre temas relacionados à saúde, tecnologias e pesquisas científicas. Não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
© 2020 Pharmedia Informática Ltda