Buscar

Estudo correlaciona doença de Alzheimer a modificações epigenéticas específicas


O conhecimento científico sobre a doença de Alzheimer (DA) aumentou bastante na última década. Infelizmente, esse progresso ainda não logrou transformar-se em um tratamento clinicamente eficaz contra a DA. Agora, pesquisadores da Universidade da Pensilvânia reuniram evidências que indicam haver um mecanismo epigenético por trás da DA de início tardio. Em estudo anterior, a mesma equipe definiu a existência de uma via epigenética ativa em cérebros saudáveis e reduzida nos cérebros com DA; a marca de acetilação da lisina 16 na histona H4 (H4K16ac).


A equipe conseguiu identificar outras duas marcas de acetilação aparentemente ligadas à patogênese da DA estudando cérebros post-mortem e modelo de DA em moscas de frutas. As histonas acetiltransferases para H3K27ac e H3K9ac foram identificadas como relacionadas à DA. Essa descoberta abre a porta para estratégias de modulação epigenética contra a doença.


Quer saber mais?


Veja esse artigo e mais notícias sobre inovação em Medicina, Odontologia e Farmácia, no nosso app. Lá além de mais conteúdos, você poderá montar a sua biblioteca de artigos para referência. Acesso gratuito.


Baixe aqui AppStore


Baixe aqui Google Play



DOCMEDIA_ICONE_HIG_RES_WHITE.png

healthcare innovation

Atenção: Docmedia é um espaço informativo de divulgação e educação sobre temas relacionados à saúde, tecnologias e pesquisas científicas. Não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
© 2020 Pharmedia Informática Ltda