Buscar

Identificada nova faceta do eixo intestino-cérebro na esclerose múltipla


Um esforço internacional de pesquisa liderado por integrantes da Universidade de Basel descreveu pela primeira vez uma conexão no eixo intestino-cérebro com potencial terapêutico na esclerose múltipla (EM).


Estudos recentes sugerem que a composição da microbiota intestinal tem papel na patogenia da EM. Mais ainda, estudos em animais documentaram a movimentação de determinadas células imunes do intestino, as células B produtoras de IgA, em direção ao sistema nervoso central durante surtos de EM.


Os pesquisadores conseguiram demonstrar o mesmo fenômeno ligado às células produtoras de IgA em humanos. Essas células se acumulam no líquor apenas durante os surtos da doença, mas não reagem contra o tecido neural, mas contra bactérias comuns da microbiota da EM, sugerindo papel protetivo dessas células. Com esses resultados, é possível que surjam novas terapias para EM a partir de intervenções no microbioma.


Quer saber mais?


Veja esse artigo e mais notícias sobre inovação em Medicina, Odontologia e Farmácia, no nosso app. Lá além de mais conteúdos, você poderá montar a sua biblioteca de artigos para referência. Acesso gratuito.


Baixe aqui AppStore


Baixe aqui Google Play



DOCMEDIA_ICONE_HIG_RES_WHITE.png

healthcare innovation

Atenção: Docmedia é um espaço informativo de divulgação e educação sobre temas relacionados à saúde, tecnologias e pesquisas científicas. Não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
© 2020 Pharmedia Informática Ltda