Buscar

Mais um estudo alerta para o risco do uso de cigarros eletrônicos


O cigarro eletrônico (CE) surgiu e foi vendido como uma opção pretensamente mais saudável que o cigarro comum por não conter uma série de substâncias reconhecidamente carcinogênicas presentes na fumaça do cigarro comum. Contra o CE, pesquisadores argumentam o poder viciante da nicotina e afirmam que os efeitos dos demais componentes do fluido utilizado no CE ainda não foram determinados.


Exatamente com a intenção de avançar nesta direção, pesquisadores da Universidade da Califórnia (San Diego) decidiram estudar os efeitos do uso crônico do CE sobre a barreira intestinal. Utilizando organóides intestinais humanos e de ratos, além de experimentos com ratos, os pesquisadores descobriram que a exposição crônica a dois componentes do fluido do CE promovem efeitos deletérios na integridade da barreira intestinal, o que obviamente pode ter repercussões indesejáveis para a saúde sistêmica.


Quer saber mais?


Veja esse artigo e mais notícias sobre inovação em Medicina, Odontologia e Farmácia, no nosso app. Lá além de mais conteúdos, você poderá montar a sua biblioteca de artigos para referência. Acesso gratuito.


Baixe aqui AppStore


Baixe aqui Google Play



17 visualizações