Buscar

Estratégia genética visa a erradicação da malária


A malária afeta anualmente mais de 220 milhões de pessoas e causa mais de 400 mil mortes, segundo o último Relatório Mundial da Malária publicado em 2020. O combate à doença é dificultado pela crescente resistência do mosquito aos pesticidas e pelo aumento da resistência do parasita às medicações antimaláricas.


Nesse contexto, abordagens genéticas para substituir a população de vetores por uma nova que seja hostil ao ciclo de vida do parasita têm sido propostas. Contudo, atualmente existem dificuldades para testar esse tipo de abordagem com segurança nas regiões endêmicas da doença, como entraves regulatórios e ausência de caracterização de genes alvo em tecidos do vetor com capacidade de obstaculizar o ciclo de vida do Plasmodium falciparum.


A novidade é que pesquisadores do Imperial College London anunciaram uma estratégia que pode aproximar o controle genético da malária da realidade. Ao final, foi criada uma linhagem modificada com genes inseridos para atrapalhar o ciclo do parasita e capacidade para transmitir esses genes de forma passiva às gerações seguintes.


Quer saber mais?


Veja esse artigo e mais notícias sobre inovação em Medicina, Odontologia e Farmácia no nosso app. Lá além de mais conteúdos, você poderá montar a sua biblioteca de artigos para referência. Acesso gratuito.


Baixe aqui AppStore


Baixe aqui Google Play

2 visualizações