Buscar

Estudo identifica causa genética como determinante na hiperêmese gravídica


Náuseas e vômitos são comuns no primeiro trimestre da gestação. Entretanto, até 2% das mulheres mostra sintomatologia exacerbada que pode gerar consequências nefastas para a gestante e para o feto.


Com o passar do tempo, pode ocorrer perda de até 5% do peso corporal, desnutrição, desequilíbrio hidroeletrolítico e até morte.


Também ocorre comprometimento do feto, sendo o mais comum o baixo peso (risco 5x maior), que é até mais relevante que o causado por tabagismo, cocaína e anfetaminas.


Até o momento, a HG era creditada a distúrbios psicológicos e à sinalização promovida pelo hormônio beta-gonadotrofina coriônica.


Agora, pesquisadores da University of South California e da organização Hyperemesis Education and Research seguiram a indicação de estudos anteriores que finalmente mostraram uma causa baseada em evidência para a doença.


Curadoria: Dr. Guilherme Rocha, médico especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela FEBRASGO.


Quer saber mais?


Baixe o app e acesse o material completo com link do artigo, além de canais de notícias, eventos e muito mais!


Baixe aqui AppStore


Baixe aqui Google Play

3 visualizações