Buscar

Melhorar a drenagem linfática cerebral pode favorecer tratamento de Alzheimer


Boa parte dos tratamentos para a doença de Alzheimer (DA) é voltada para a redução da deposição de proteína beta-amiloide no cérebro. Nesse contexto, a imunoterapia com anticorpos monoclonais direcionados à proteína amiloide-beta é vista como promissora. A novidade é um estudo de pesquisadores da Universidade de Washington e colegas da Universidade da Virgínia demonstrando que a função do sistema de drenagem linfática do cérebro (SDLC) possui forte influência nesse tipo de tratamento.


Utilizando um modelo murino estabelecido de DA, os pesquisadores encontraram alterações que podem explicar algumas relações já demonstradas, como a maior incidência de DA em indivíduos com distúrbios do sono. Além disso, as descobertas podem implicar em estratégias para aumentar a eficácia da imunoterapia e até definir o melhor momento para o início do tratamento. Quer saber mais?


Quer saber mais?


Veja esse artigo e mais notícias sobre inovação em Medicina, Odontologia e Farmácia no nosso app. Lá além de mais conteúdos, você poderá montar a sua biblioteca de artigos para referência. Acesso gratuito.


Baixe aqui AppStore


Baixe aqui Google Play

10 visualizações