Buscar

Pesquisa alerta para importante viés em estudos neurológicos com tecidos pós-morte


Protocolos de pesquisa visando identificar fatores que possam contribuir para o diagnóstico e o tratamento de doenças neurológicas utilizam o sequenciamento genético de tecidos cerebrais pós-morte. Entretanto, pesquisadores da Universidade de Illinois alertam que os resultados de um estudo de sua autoria mostram que há um importante viés que precisa ser considerado na interpretação dos resultados de estudos do tipo, sob pena do risco de resultados enganosos.


Segundo o artigo da equipe, toda a problemática decorre da expressão gênica não ser uniforme após a morte, ocorrendo grupos de genes cuja transcrição se mantém estável, assim como grupos em que ocorre queda ou aumento dos níveis de transcrição. Segundo a equipe, desconsiderar essas evidências pode acarretar interpretações enviesadas em estudos com tecido cerebral pós-morte.


Quer saber mais?


Veja esse artigo e mais notícias sobre inovação em Medicina, Odontologia e Farmácia no nosso app. Lá além de mais conteúdos, você poderá montar a sua biblioteca de artigos para referência. Acesso gratuito.


Baixe aqui AppStore


Baixe aqui Google Play

15 visualizações